• 967 224 138
  • Contactos

O sangue da guerra

Manuel Geraldo
Caso
Português PT

Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€10
Mais detalhes
  • Ano
  • 1986
  • Colecção
  • Guerra Colonial 02
  • Capa
  • Inácio Matsinhe
  • Código
  • LT004791
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 14,00 x 20,00 x
  • Nº Páginas
  • 88

Descrição

Com dedicatória do autor.

Nascido na Salvada, no concelho de Beja, Manuel Geraldo iniciou a sua carreira profissional de jornalista no «Diário de Lisboa», onde permaneceu 17 anos, passando depois pelo «Tal & Qual», «Câmbio 16», em Espanha, «Revista Alentejana», «Bola Magazine» e «As Pessoas». Desde há muitos anos que assinava semanalmente o policiário no «Diário do Alentejo». Foi ainda director do semanário «Gazeta de Lisboa». Entre os vários livros publicados sobre o Alentejo, a guerra colonial e a área jurídico-policial, destaque para «Emigrados e Ofendidos», «Em Bizango de Bizangongo», «Um Juiz no Alto do Parque», «A Segunda Morte do General Delgado» e «SOS! Será que estou a ficar racista?».

O sangue da guerra

€10

Manuel Geraldo
Caso
Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1986
  • Colecção
  • Guerra Colonial 02
  • Capa
  • Inácio Matsinhe
  • Código
  • LT004791
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 14,00 x 20,00 x
  • Nº Páginas
  • 88
Descrição

Com dedicatória do autor.

Nascido na Salvada, no concelho de Beja, Manuel Geraldo iniciou a sua carreira profissional de jornalista no «Diário de Lisboa», onde permaneceu 17 anos, passando depois pelo «Tal & Qual», «Câmbio 16», em Espanha, «Revista Alentejana», «Bola Magazine» e «As Pessoas». Desde há muitos anos que assinava semanalmente o policiário no «Diário do Alentejo». Foi ainda director do semanário «Gazeta de Lisboa». Entre os vários livros publicados sobre o Alentejo, a guerra colonial e a área jurídico-policial, destaque para «Emigrados e Ofendidos», «Em Bizango de Bizangongo», «Um Juiz no Alto do Parque», «A Segunda Morte do General Delgado» e «SOS! Será que estou a ficar racista?».