• 967 224 138
  • Contactos

Portugal, hoje – O medo de existir

LT011267
2005
José Gil

Editora Relógio d'Água
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€10
Mais detalhes
  • Ano
  • 2005
  • Código
  • LT011267
  • ISBN
  • 9789727088171
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00 x
  • Nº Páginas
  • 142

Descrição

José Gil foi considerado, no número especial do Le Nouvel Observateur, de Dezembro de 2004, como um dos 25 «grandes pensadores» de todo o mundo, ao lado de Richard Rorty, Peter Sloterdijk, Toni Negri e Slavoj Zizek. O autor de Portugal, Hoje nasceu em Moçambique a 15 de Junho de 1939 e doutorou-se em Filosofia na Universidade de Paris (1982), sob a orientação de François Châtelet. Colabora com revistas portuguesas e estrangeiras de várias áreas. Foi Directeur de Programme do Collège International de Philosophie de Paris e ensina actualmente na Universidade Nova de Lisboa. As suas obras estão traduzidas em várias línguas.

«Pensador difícil e denso, altamente criativo, capaz de inventar conceitos próprios, José Gil, com Portugal, Hoje adquire uma notoriedade assinalável.» Eduardo Prado Coelho, Público, Fevereiro de 2005

«Num livrinho de 150 páginas, quase de bolso, José Gil teve a humildade de libertar o seu discurso do jargão académico e filosófico e descer à terra. O resultado é fascinante porque há muito se não via, entre nós, um filósofo falar do real quotidiano de modo tão inteligente e, ao mesmo tempo, tão simples.» Rodrigues da Silva, JL, Janeiro de 2005

«Na análise de José Gil, Portugal é uma sociedade normalizada, onde o horizonte dos possíveis é extremamente pobre e onde a prática democrática encontra resistências ao aprofundamento.» António Guerreiro, Expresso, Dezembro de 2004

«Vasta ambição esta de José Gil tentando reconstruir toda uma tradição filosófica, quer levando até aos limites algumas das nossas tradições, quer opondo-se com determinação às que estão na própria origem da sua vocação filosófica, como a fenomenologia.» Eduardo Lourenço, no n.º especial do Le Nouvel Observateur, de Janeiro de 2005, sobre os «25 Grandes Pensadores do Mundo Inteiro».

Portugal, hoje – O medo de existir

€10

LT011267
2005
José Gil
Editora Relógio d'Água
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 2005
  • Código
  • LT011267
  • ISBN
  • 9789727088171
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00 x
  • Nº Páginas
  • 142
Descrição

José Gil foi considerado, no número especial do Le Nouvel Observateur, de Dezembro de 2004, como um dos 25 «grandes pensadores» de todo o mundo, ao lado de Richard Rorty, Peter Sloterdijk, Toni Negri e Slavoj Zizek. O autor de Portugal, Hoje nasceu em Moçambique a 15 de Junho de 1939 e doutorou-se em Filosofia na Universidade de Paris (1982), sob a orientação de François Châtelet. Colabora com revistas portuguesas e estrangeiras de várias áreas. Foi Directeur de Programme do Collège International de Philosophie de Paris e ensina actualmente na Universidade Nova de Lisboa. As suas obras estão traduzidas em várias línguas.

«Pensador difícil e denso, altamente criativo, capaz de inventar conceitos próprios, José Gil, com Portugal, Hoje adquire uma notoriedade assinalável.» Eduardo Prado Coelho, Público, Fevereiro de 2005

«Num livrinho de 150 páginas, quase de bolso, José Gil teve a humildade de libertar o seu discurso do jargão académico e filosófico e descer à terra. O resultado é fascinante porque há muito se não via, entre nós, um filósofo falar do real quotidiano de modo tão inteligente e, ao mesmo tempo, tão simples.» Rodrigues da Silva, JL, Janeiro de 2005

«Na análise de José Gil, Portugal é uma sociedade normalizada, onde o horizonte dos possíveis é extremamente pobre e onde a prática democrática encontra resistências ao aprofundamento.» António Guerreiro, Expresso, Dezembro de 2004

«Vasta ambição esta de José Gil tentando reconstruir toda uma tradição filosófica, quer levando até aos limites algumas das nossas tradições, quer opondo-se com determinação às que estão na própria origem da sua vocação filosófica, como a fenomenologia.» Eduardo Lourenço, no n.º especial do Le Nouvel Observateur, de Janeiro de 2005, sobre os «25 Grandes Pensadores do Mundo Inteiro».