• 967 224 138 *
  • Contactos

O equívoco do 25 de Abril xx

LT004864
1975
Sanches Osório

Editora Intervenção
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Indisponível

€8
Mais detalhes
  • Ano
  • 1975
  • Código
  • LT004864
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00 x
  • Nº Páginas
  • 156

Descrição

No dia 25 de Abril de 1974 aconteceu em Portugal uma Revolução de Flores. Sem um tiro, um governo podre caiu. A cidade, o País inteiro, encheu-se inesperadamente de flores. Milhões de cravos vermelhos, brancos, cor de rosa. No dia 26 de Abril um grupo de oficiais começou a trair a pureza da Revolução. As flores começaram a ser espezinhadas sem ninguém se aperceber. Apenas o Partido Comunista sabia o que estava acontecendo. É a isto que o Autor chama o equívoco do 25 de Abril. José Eduardo Sanches Osório tem 34 anos. Oficial de Estado Maior no Exército Português, formou-se na velha Academia Militar lusitana e é Engenheiro Civil pelo I.S.T. da Universidade de Lisboa. Com a patente de Major foi um dos primeiros oficiais a aderir ao Movimento que haveria de fazer a revolução de 25 de Abril. Director Geral da Informação no 1. Governo Provisório e Ministro da Comunicação Social no 2. Governo Provisório, demitiu-se de ministro e de oficial do Exército após a resignação de Spínola. Secretário-Geral do Partido da Democracia Cristã viu o seu partido suspenso e proibido de concorrer às eleições. Com mandato de captura após o 11 de Março e ameaçado de morte, conseguiu escapar de Portugal com a mulher e quatro filhos, e escrever este livro. A Revolução das Flores foi atraiçoada na sua pureza. É esta a tese de Sanches Osório, líder cristão progressista.

O equívoco do 25 de Abril xx

€8

LT004864
1975
Sanches Osório
Editora Intervenção
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Indisponível

Mais detalhes
  • Ano
  • 1975
  • Código
  • LT004864
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00 x
  • Nº Páginas
  • 156
Descrição

No dia 25 de Abril de 1974 aconteceu em Portugal uma Revolução de Flores. Sem um tiro, um governo podre caiu. A cidade, o País inteiro, encheu-se inesperadamente de flores. Milhões de cravos vermelhos, brancos, cor de rosa. No dia 26 de Abril um grupo de oficiais começou a trair a pureza da Revolução. As flores começaram a ser espezinhadas sem ninguém se aperceber. Apenas o Partido Comunista sabia o que estava acontecendo. É a isto que o Autor chama o equívoco do 25 de Abril. José Eduardo Sanches Osório tem 34 anos. Oficial de Estado Maior no Exército Português, formou-se na velha Academia Militar lusitana e é Engenheiro Civil pelo I.S.T. da Universidade de Lisboa. Com a patente de Major foi um dos primeiros oficiais a aderir ao Movimento que haveria de fazer a revolução de 25 de Abril. Director Geral da Informação no 1. Governo Provisório e Ministro da Comunicação Social no 2. Governo Provisório, demitiu-se de ministro e de oficial do Exército após a resignação de Spínola. Secretário-Geral do Partido da Democracia Cristã viu o seu partido suspenso e proibido de concorrer às eleições. Com mandato de captura após o 11 de Março e ameaçado de morte, conseguiu escapar de Portugal com a mulher e quatro filhos, e escrever este livro. A Revolução das Flores foi atraiçoada na sua pureza. É esta a tese de Sanches Osório, líder cristão progressista.