• 967 224 138
  • Contactos
Segredos culinários de Maria Callas

Segredos culinários de Maria Callas

Bruno Tosi
Disponib. - Por encomenda

€15
Mais detalhes
  • Ano
  • 2008
  • Colecção
  • Coração, Cabeça e Estômago
  • Código
  • LT002286
  • ISBN
  • 9789723713756
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 137

Descrição

Histórias, receitas e sabores. Prefácio de José Bento dos Santos «Gostava de cozinhar com base nos seus apontamentos preciosos e passava muito tempo na cozinha, preparando para os convidados os seus pratos favoritos. Dizia Brillat-Savarin que “quem convida Amigos para jantar e não se encarrega da preparação do mesmo não é digno de ter Amigos”. Maria Callas era, por isso, digna dos seus Amigos. E este acervo de receitas mostra bem o cuidado posto na sua escolha, oriundo de um gosto educado e requintado que, no entanto, ela não usufruía para si própria, já que a sua permanente e rigorosa dieta não lho permitia. No fim de um espectáculo retemperava forças com uma sopa e um bife com saladas. Nunca comia sobremesa, o que não a impedia de mordiscar as sobremesas dos outros convivas, para apreciar homeopaticamente o doce proibido. Cozinhar para os outros é a essência da partilha da mesa e Callas, ao fazê-lo, dá-nos uma lição de humildade e de amor.» José Bento dos Santos, no prefácio deste livro

Segredos culinários de Maria Callas

Segredos culinários de Maria Callas €15

Bruno Tosi
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Ano
  • 2008
  • Colecção
  • Coração, Cabeça e Estômago
  • Código
  • LT002286
  • ISBN
  • 9789723713756
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 137
Descrição

Histórias, receitas e sabores. Prefácio de José Bento dos Santos «Gostava de cozinhar com base nos seus apontamentos preciosos e passava muito tempo na cozinha, preparando para os convidados os seus pratos favoritos. Dizia Brillat-Savarin que “quem convida Amigos para jantar e não se encarrega da preparação do mesmo não é digno de ter Amigos”. Maria Callas era, por isso, digna dos seus Amigos. E este acervo de receitas mostra bem o cuidado posto na sua escolha, oriundo de um gosto educado e requintado que, no entanto, ela não usufruía para si própria, já que a sua permanente e rigorosa dieta não lho permitia. No fim de um espectáculo retemperava forças com uma sopa e um bife com saladas. Nunca comia sobremesa, o que não a impedia de mordiscar as sobremesas dos outros convivas, para apreciar homeopaticamente o doce proibido. Cozinhar para os outros é a essência da partilha da mesa e Callas, ao fazê-lo, dá-nos uma lição de humildade e de amor.» José Bento dos Santos, no prefácio deste livro