• 967 224 138
  • Contactos
Satírica xx

Satírica xx

Mendes de Carvalho
Disponib. - Por encomenda

€8
Mais detalhes
  • Ano
  • 1974
  • Colecção
  • Pequeno Tesouro
  • Código
  • LT002962
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 133

Descrição

Introdução de Serafim Ferreira. Poeta, dramaturgo e novelista, Mendes de Carvalho (1927-1988), foi também na vida um homem de sete instrumentos, sempre muito próximo de grupos teatrais ("Casa da Comédia", "Teatro Estúdio de Lisboa e "Clube Palco"), orientou páginas literárias e colaborou em jornais e revistas literárias com poemas, artigos e ensaios sobre literatura e artes plásticas. Mas, passados treze anos sobre a sua morte, a poesia crítica e satírica de Mendes de Carvalho está hoje praticamente esquecida e os seus livros andam perdidos no silêncio das bibliotecas ou nas mãos de amigos que ainda teimam em reler os Poemas de Ponta & Mola ou as Cantigas de Amor & Maldizer, ainda e sempre na lembrança de o ouvir explicar o verdadeiro lugar de seu nascimento: "O autor nasceu no Alcaide, pequena aldeia que aparece nos mapas decentes. Ali aprendeu as primeiras letras. Na capital, as segundas, as terceiras e outras. Mas foi de facto em Lisboa que, tendo começado a sonetar antes de romper a barba, se tornou afinal anti-sonetista".

Satírica xx

Satírica xx €8

Mendes de Carvalho
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Ano
  • 1974
  • Colecção
  • Pequeno Tesouro
  • Código
  • LT002962
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 133
Descrição

Introdução de Serafim Ferreira. Poeta, dramaturgo e novelista, Mendes de Carvalho (1927-1988), foi também na vida um homem de sete instrumentos, sempre muito próximo de grupos teatrais ("Casa da Comédia", "Teatro Estúdio de Lisboa e "Clube Palco"), orientou páginas literárias e colaborou em jornais e revistas literárias com poemas, artigos e ensaios sobre literatura e artes plásticas. Mas, passados treze anos sobre a sua morte, a poesia crítica e satírica de Mendes de Carvalho está hoje praticamente esquecida e os seus livros andam perdidos no silêncio das bibliotecas ou nas mãos de amigos que ainda teimam em reler os Poemas de Ponta & Mola ou as Cantigas de Amor & Maldizer, ainda e sempre na lembrança de o ouvir explicar o verdadeiro lugar de seu nascimento: "O autor nasceu no Alcaide, pequena aldeia que aparece nos mapas decentes. Ali aprendeu as primeiras letras. Na capital, as segundas, as terceiras e outras. Mas foi de facto em Lisboa que, tendo começado a sonetar antes de romper a barba, se tornou afinal anti-sonetista".