• 967 224 138
  • Contactos
a musica do acaso

A música do acaso

Paul Auster
Disponib. - Em stock

€7
Mais detalhes
  • Ano
  • 1997
  • Colecção
  • Grandes Narrativas
  • Idioma Original
  • Inglês
  • Tradutor
  • Ana Patrão
  • Capa
  • Fernando Felgueiras
  • Edição
  • 2
  • Código
  • LT002233
  • ISBN
  • 9789722315517
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 231

Descrição

«A Música do Acaso» é um dos mais intrigantes romances de Paul Auster. Nele conta-se a história de alguém que inesperadamente recebe uma herança, decide abandonar tudo e viajar sem rumo. Disposto a continuar enquanto tiver dinheiro, não estabelece nenhum ponto de chegada, deixando-se conduzir pelo acaso. Este torna-se a força motriz que determina a sua vida, transformando-a numa sucessão de acontecimentos aparentemente sem significado. Assente sobre este jogo perverso, o autor desenrola a história dos seus personagens de acordo com os seus próprios temas-obsessões, definindo o indivíduo simultaneamente pela sua impotência e pela sua capacidade de viajar até aos limites da solidão. Paul Auster é um autor que recolhe o melhor da tradição ficcional americana, fundindo-a com influências várias, entre as quais podemos citar Kafka, Mallarmé ou Blanchot, que marcaram o seu próprio percurso na ficção.

A música do acaso

a musica do acaso €7

Paul Auster
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1997
  • Colecção
  • Grandes Narrativas
  • Idioma Original
  • Inglês
  • Tradutor
  • Ana Patrão
  • Capa
  • Fernando Felgueiras
  • Edição
  • 2
  • Código
  • LT002233
  • ISBN
  • 9789722315517
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 231
Descrição
«A Música do Acaso» é um dos mais intrigantes romances de Paul Auster. Nele conta-se a história de alguém que inesperadamente recebe uma herança, decide abandonar tudo e viajar sem rumo. Disposto a continuar enquanto tiver dinheiro, não estabelece nenhum ponto de chegada, deixando-se conduzir pelo acaso. Este torna-se a força motriz que determina a sua vida, transformando-a numa sucessão de acontecimentos aparentemente sem significado. Assente sobre este jogo perverso, o autor desenrola a história dos seus personagens de acordo com os seus próprios temas-obsessões, definindo o indivíduo simultaneamente pela sua impotência e pela sua capacidade de viajar até aos limites da solidão. Paul Auster é um autor que recolhe o melhor da tradição ficcional americana, fundindo-a com influências várias, entre as quais podemos citar Kafka, Mallarmé ou Blanchot, que marcaram o seu próprio percurso na ficção.