• 967 224 138
  • Contactos
As onze mil vergas xx

As onze mil vergas xx

LT003294
1988
Guillaume Apollinaire

Disponib. - Indisponível

€8
Mais detalhes
  • Ano
  • 1988
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Maria Emília Ferros Moura
  • Capa
  • Antunes
  • Código
  • LT003294
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 118

Descrição

As Onze Mil Vergas conta a história de um príncipe romeno, Mony Vibescu, no seu périplo de depravação em busca de excitação e aventura que o leva de Bucareste a Paris, passando por vários países da Europa e culminando na China. As suas peregrinações são pontuadas por cenas notavelmente cruas, em que Apollinaire explora, com um humor invulgar, as facetas mais obscenas da sexualidade, do sadismo ao masoquismo, do vampirismo ao safismo, da gerontofilia à pederastia, do onanismo à sexualidade em grupo. Leitor de Sade, Restif de la Bretonne e Andrea de Nerciat, Apollinaire constrói com as suas Onze Mil Vergas a resposta do modernismo aos velhos mestres do erotismo, expandindo e detonando os limites da obscenidade muito para além do imaginável.

As onze mil vergas xx

As onze mil vergas xx €8

LT003294
1988
Guillaume Apollinaire
Disponib. - Indisponível

Mais detalhes
  • Ano
  • 1988
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Maria Emília Ferros Moura
  • Capa
  • Antunes
  • Código
  • LT003294
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 118
Descrição

As Onze Mil Vergas conta a história de um príncipe romeno, Mony Vibescu, no seu périplo de depravação em busca de excitação e aventura que o leva de Bucareste a Paris, passando por vários países da Europa e culminando na China. As suas peregrinações são pontuadas por cenas notavelmente cruas, em que Apollinaire explora, com um humor invulgar, as facetas mais obscenas da sexualidade, do sadismo ao masoquismo, do vampirismo ao safismo, da gerontofilia à pederastia, do onanismo à sexualidade em grupo. Leitor de Sade, Restif de la Bretonne e Andrea de Nerciat, Apollinaire constrói com as suas Onze Mil Vergas a resposta do modernismo aos velhos mestres do erotismo, expandindo e detonando os limites da obscenidade muito para além do imaginável.