• 967 224 138
  • Contactos

Cartas de amor – Musset / Sand

LT010503
2001
George Sand

Autores Alfred de Musset
Editora Relógio d'Água
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€12
Mais detalhes
  • Ano
  • 2001
  • Tradutor
  • Margarida Vale de Gato
  • Código
  • LT010503
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 133

Descrição

«Na Primavera de 1833, Alfred de Musset, jovem poeta de 22 anos, encontra Aurora Dudevant, ou antes a romancista e novelista George Sand, de 28 anos, num jantar organizado pelo editor François Buloz. Curioso acerca daquela mulher de magníficos olhos negros, Musset envia a Sand uns versos encomiásticos sobre o seu romance "Indiana". Assim se desenvolve entre eles uma amizade, de início firmada por um pacto de camaradagem, de que são testemunha os ambíguos epítetos endereçados por Musset à romancista: "Mon cher George", "mon ami", "mon frére."(...) No coração e no génio romântico de Musset, o fraterno convívio cedo assume os contornos de uma paixão idealizada. E Sand cede. Assim, cerca de Setembro de 1833, Alfred muda-se para o nº 29, Quai Malaquais, onde viria a ser a personagem masculina central do ciclo de Sand, já não apenas como "companheiro de letras", mas como amante.» da Nota Explicativa

Cartas de amor – Musset / Sand

€12

LT010503
2001
George Sand
Autores Alfred de Musset
Editora Relógio d'Água
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 2001
  • Tradutor
  • Margarida Vale de Gato
  • Código
  • LT010503
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 133
Descrição

«Na Primavera de 1833, Alfred de Musset, jovem poeta de 22 anos, encontra Aurora Dudevant, ou antes a romancista e novelista George Sand, de 28 anos, num jantar organizado pelo editor François Buloz. Curioso acerca daquela mulher de magníficos olhos negros, Musset envia a Sand uns versos encomiásticos sobre o seu romance "Indiana". Assim se desenvolve entre eles uma amizade, de início firmada por um pacto de camaradagem, de que são testemunha os ambíguos epítetos endereçados por Musset à romancista: "Mon cher George", "mon ami", "mon frére."(...) No coração e no génio romântico de Musset, o fraterno convívio cedo assume os contornos de uma paixão idealizada. E Sand cede. Assim, cerca de Setembro de 1833, Alfred muda-se para o nº 29, Quai Malaquais, onde viria a ser a personagem masculina central do ciclo de Sand, já não apenas como "companheiro de letras", mas como amante.» da Nota Explicativa