• 967 224 138
  • Contactos
O ajudante

O ajudante

Robert Walser
Disponib. - Por encomenda

€12
Mais detalhes
  • Ano
  • 2006
  • Idioma Original
  • Alemão
  • Tradutor
  • Isabel Castro Silva
  • Código
  • LT002260
  • ISBN
  • 9789727088782
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 233

Descrição

O Ajudante (1908) é o segundo romance de Robert Walser, escritor nascido em Biel, na Suíça, em 1878. Como acontece em grande parte da sua obra, também este livro tem um ponto de partida autobiográfico. Por entre as suas várias profissões, que exerceu erraticamente para poder dedicar-se à escrita, Walser trabalhou como secretário e contabilista do engenheiro Carl Dubler, vivendo durante seis meses com o casal e quatro filhos na vivenda da Estrela da Noite. Esta contiguidade entre a vida e a literatura é a consequência daquele «romance que nunca deixei de escrever, que permanece sempre idêntico a si próprio e que poderia ser designado como um eu-livro várias vezes retalhado e descosido». E, com efeito, Joseph Marti, o ajudante, como tantos outros protagonistas de Walser, quer antes de mais entender-se a si próprio. Entre 1904 e 1933, Walser publicou uma vasta e original obra poética e romanesca que entusiasmou a crítica (são exemplos Walter Benjamin e Max Brod) e alguns dos principais escritores de língua alemã, como Hesse, Kafka e Musil. Em 1929 ingressou voluntariamente num manicómio. Foi encontrado morto, na neve, por um grupo de crianças no dia de Natal de 1956, quando dava um dos seus habituais passeios.

O ajudante

O ajudante €12

Robert Walser
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Ano
  • 2006
  • Idioma Original
  • Alemão
  • Tradutor
  • Isabel Castro Silva
  • Código
  • LT002260
  • ISBN
  • 9789727088782
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 233
Descrição

O Ajudante (1908) é o segundo romance de Robert Walser, escritor nascido em Biel, na Suíça, em 1878. Como acontece em grande parte da sua obra, também este livro tem um ponto de partida autobiográfico. Por entre as suas várias profissões, que exerceu erraticamente para poder dedicar-se à escrita, Walser trabalhou como secretário e contabilista do engenheiro Carl Dubler, vivendo durante seis meses com o casal e quatro filhos na vivenda da Estrela da Noite. Esta contiguidade entre a vida e a literatura é a consequência daquele «romance que nunca deixei de escrever, que permanece sempre idêntico a si próprio e que poderia ser designado como um eu-livro várias vezes retalhado e descosido». E, com efeito, Joseph Marti, o ajudante, como tantos outros protagonistas de Walser, quer antes de mais entender-se a si próprio. Entre 1904 e 1933, Walser publicou uma vasta e original obra poética e romanesca que entusiasmou a crítica (são exemplos Walter Benjamin e Max Brod) e alguns dos principais escritores de língua alemã, como Hesse, Kafka e Musil. Em 1929 ingressou voluntariamente num manicómio. Foi encontrado morto, na neve, por um grupo de crianças no dia de Natal de 1956, quando dava um dos seus habituais passeios.