• 967 224 138
  • Contactos

O nosso agente em Havana

LT008905
1992
Graham Greene

Editora Ulisseia
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€10
Mais detalhes
  • Ano
  • 1992
  • Colecção
  • Clássicos do Romance Contemporâneo
  • Idioma Original
  • Inglês
  • Tradutor
  • Daniel Gonçalves
  • Código
  • LT008905
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 13,00 x 20,00
  • Nº Páginas
  • 252

Descrição

Um representante de uma pequena empresa inglesa de aspiradores, lojista quase arruinado, vive angustiado com os eternos motins de Cuba. Os negócios vão mal, muito mal e Milly, a sua bela filha, atormenta-o com os seus caprichos. Então, sob a forma de Mr. Hawthorne, um enigmático cavalheiro que faz apelo ao seu sentido patriótico, explica-lhe coisas tão estranhas como o modo de usar um livro de cifra, ou tinta invisível, ou a utilidade das chaleiras eléctricas para a abertura de cartas - a tentação surge. Pouco a pouco, como aliás explica Hawthorne aos seus superiores hierárquicos em Londres, a imaginação do pobre comerciante põe-se a trabalhar. E como, no nosso mundo, a realidade não é coisa que se enfrente, a imaginação assim estimulada virá a revelar-se mais verdadeira do que o próprio real…

O nosso agente em Havana

€10

LT008905
1992
Graham Greene
Editora Ulisseia
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1992
  • Colecção
  • Clássicos do Romance Contemporâneo
  • Idioma Original
  • Inglês
  • Tradutor
  • Daniel Gonçalves
  • Código
  • LT008905
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 13,00 x 20,00
  • Nº Páginas
  • 252
Descrição

Um representante de uma pequena empresa inglesa de aspiradores, lojista quase arruinado, vive angustiado com os eternos motins de Cuba. Os negócios vão mal, muito mal e Milly, a sua bela filha, atormenta-o com os seus caprichos. Então, sob a forma de Mr. Hawthorne, um enigmático cavalheiro que faz apelo ao seu sentido patriótico, explica-lhe coisas tão estranhas como o modo de usar um livro de cifra, ou tinta invisível, ou a utilidade das chaleiras eléctricas para a abertura de cartas - a tentação surge. Pouco a pouco, como aliás explica Hawthorne aos seus superiores hierárquicos em Londres, a imaginação do pobre comerciante põe-se a trabalhar. E como, no nosso mundo, a realidade não é coisa que se enfrente, a imaginação assim estimulada virá a revelar-se mais verdadeira do que o próprio real…