• 967 224 138
  • Contactos

O teatro da memória xxx

Leonardo Sciascia
Difel
Português PT

Estado : Como Novo
Encadernação : Brochado
Disponib. - Por encomenda

€6
Mais detalhes
  • Idioma Original
  • Italiano
  • Tradutor
  • Maria Luísa Rodrigues de Freitas
  • Código
  • LT002229
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 12,00 x 19,00 x
  • Nº Páginas
  • 103

Descrição

«Quem o conhece?» A fotografia de um homem de barba, publicada sob este título num número da «Domenica del Corriere» de 1927 abre assim o clamoroso «caso Bruneri-Canella» que ocupou os jornais durante anos e dividiu os italianos em, «canellianos» e «brunerianos». Um desconhecido, surpreendido a roubar em Turim, declarava ter perdido a memória, sendo como tal internado no manicómio de Collegno. Pela sua fotografia e depois pessoalmente, os familiares do professor Canella, de Verona, julgaram reconhecer o seu parente desaparecido na guerra; depois de algumas dúvidas, esse reconhecimento transformou-se em certeza, sobretudo por parte da mulher, que retomou alegremente a sua vida conjugal ao lado do desmemoriado. Mas uma série de provas dificilmente iludíveis apontava noutra direcção: o pretenso desmemoriado não era o pio e douto professor de Filosofia, mas sim Mário Bruneri, um tipógrafo turinês autodidacta, há já algum tempo procurado pela polícia por pequenos roubos e pequenas burlas. Será que a sua perda de memória não passava de um expediente para escapar à prisão? Daí nasceu um caso judicial, que teria sido resolvido rapidamente se não fosse a apaixonada obstinação da senhora Canella, convencida de ter reencontrado o marido. Leonardo Sciascia reabre os dossiers da polícia e, com a subtileza e a ironia que o tornaram um dos mais importantes escritores italianos da actualidade, disseca os vários aspectos, frequentemente rocambolescos, deste misterioso caso.


Leonardo Sciascia
Difel
Português PT
Estado : Como Novo
Encadernação : Brochado
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Idioma Original
  • Italiano
  • Tradutor
  • Maria Luísa Rodrigues de Freitas
  • Código
  • LT002229
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 12,00 x 19,00 x
  • Nº Páginas
  • 103
Descrição

«Quem o conhece?» A fotografia de um homem de barba, publicada sob este título num número da «Domenica del Corriere» de 1927 abre assim o clamoroso «caso Bruneri-Canella» que ocupou os jornais durante anos e dividiu os italianos em, «canellianos» e «brunerianos». Um desconhecido, surpreendido a roubar em Turim, declarava ter perdido a memória, sendo como tal internado no manicómio de Collegno. Pela sua fotografia e depois pessoalmente, os familiares do professor Canella, de Verona, julgaram reconhecer o seu parente desaparecido na guerra; depois de algumas dúvidas, esse reconhecimento transformou-se em certeza, sobretudo por parte da mulher, que retomou alegremente a sua vida conjugal ao lado do desmemoriado. Mas uma série de provas dificilmente iludíveis apontava noutra direcção: o pretenso desmemoriado não era o pio e douto professor de Filosofia, mas sim Mário Bruneri, um tipógrafo turinês autodidacta, há já algum tempo procurado pela polícia por pequenos roubos e pequenas burlas. Será que a sua perda de memória não passava de um expediente para escapar à prisão? Daí nasceu um caso judicial, que teria sido resolvido rapidamente se não fosse a apaixonada obstinação da senhora Canella, convencida de ter reencontrado o marido. Leonardo Sciascia reabre os dossiers da polícia e, com a subtileza e a ironia que o tornaram um dos mais importantes escritores italianos da actualidade, disseca os vários aspectos, frequentemente rocambolescos, deste misterioso caso.