• 967 224 138
  • Contactos

Viagem ao fim da noite (Ulisseia)

LT007096
2002
Louis-Ferdinand Céline

Editora Ulisseia
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€15
Mais detalhes
  • Ano
  • 2002
  • Colecção
  • Clássicos do Romance Contemporâneo
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Aníbal Fernandes
  • Código
  • LT007096
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 14,00 x 22,00
  • Nº Páginas
  • 423

Descrição

Tradução revista, apresentação e notas de Aníbal Fernandes

Viagem ao Fim da Noite é uma das obras-primas da literatura universal do século XX. Torrencial e desesperado, este romance foi saudado, na época, como um grande fresco das misérias da condição humana e como um exemplo de uma nova consciência da esquerda. Formosa ironia, com efeito. Poucos anos volvidos, a intelligentsia progressista arrepender-se-ia do seu prematuro entusiasmo, face à surpresa de sentido inverso que representaram Morte a Crédito e, muito principalmente, Bagatelles pour un Massacre. Falou-se então de fascismo e de infâmia a propósito do comportamento de Céline durante a ocupação alemã. A ambiguidade, porém, nem por isso se tinha desvanecido. Este homem, acusado de ter sido o mais feroz anti-semita das letras francesas, foi também dos primeiros a denunciar os ridículos do militarismo e os crimes da exploração colonial.

Viagem ao fim da noite (Ulisseia)

€15

LT007096
2002
Louis-Ferdinand Céline
Editora Ulisseia
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 2002
  • Colecção
  • Clássicos do Romance Contemporâneo
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Aníbal Fernandes
  • Código
  • LT007096
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 14,00 x 22,00
  • Nº Páginas
  • 423
Descrição

Tradução revista, apresentação e notas de Aníbal Fernandes

Viagem ao Fim da Noite é uma das obras-primas da literatura universal do século XX. Torrencial e desesperado, este romance foi saudado, na época, como um grande fresco das misérias da condição humana e como um exemplo de uma nova consciência da esquerda. Formosa ironia, com efeito. Poucos anos volvidos, a intelligentsia progressista arrepender-se-ia do seu prematuro entusiasmo, face à surpresa de sentido inverso que representaram Morte a Crédito e, muito principalmente, Bagatelles pour un Massacre. Falou-se então de fascismo e de infâmia a propósito do comportamento de Céline durante a ocupação alemã. A ambiguidade, porém, nem por isso se tinha desvanecido. Este homem, acusado de ter sido o mais feroz anti-semita das letras francesas, foi também dos primeiros a denunciar os ridículos do militarismo e os crimes da exploração colonial.