• 967 224 138
  • Contactos

Um só mundo – A ética da globalização

Peter Singer
Gradiva
Português PT

Estado : Usado 4/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€12
Mais detalhes
  • Ano
  • 2004
  • Colecção
  • Filosofia Aberta
  • Idioma Original
  • Inglês
  • Tradutor
  • Maria de Fátima St. Aubyn
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT006214
  • ISBN
  • 9789726629559
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00
  • Nº Páginas
  • 281

Descrição

Conhecido pelo pensamento original e corajoso sobre matérias que vão do tratamento dos animais à manipulação genética, Peter Singer centra agora a sua atenção nas questões éticas relacionadas com a globalização. Nesta obra estimulante, desafia-nos a pensar para além das fronteiras nacionais dos Estados e a considerar o possível significado de uma ética global no mundo actual. Singer coloca questões originais acerca de uma tal ética e fornece respostas esclarecedoras e práticas. O livro trata quatro grandes questões mundiais: as alterações climáticas, o papel da Organização Mundial do Comércio, os direitos humanos e a intervenção com fins humanitários, e a ajuda externa. Singer aborda cada uma destas questões fundamentais de uma perspectiva ética e apresenta alternativas à abordagem estadocêntrica que caracteriza actualmente a teoria e as relações internacionais. Em relação às alterações climáticas, por exemplo, o autor vê a questão ética como dizendo respeito a um recurso mundial comum - a capacidade da atmosfera para absorver gases residuais. De que parte deste recurso se devem apropriar os países desenvolvidos e que parte deve ser deixada aos países em vias de desenvolvimento? Relativamente à OMC, Singer pergunta se a organização permite que o comércio livre se sobreponha a todos os outros valores e passa em revista os dados que comprovam os que desmentem a ideia de que a globalização é benéfica para os pobres. Ao considerar os direitos humanos, o autor pergunta até que ponto podemos criar leis mundiais de protecção dos direitos humanos e quais deverão ser os critérios determinantes de uma intervenção quando estes direitos são violados. Por fim, Singer analisa as obrigações dos países ricos no auxílio dos países pobres. Colocando um desafio ousado às perspectivas limitadas e nacionalistas dos definidores de políticas, dos políticos e dos líderes dos Estados Unidos e de outros países, Singer apresenta pormenorizadamente uma forma prática de considerar as questões mundiais contemporâneas sob o prisma da ética.

Um só mundo – A ética da globalização

€12

Peter Singer
Gradiva
Português PT
Estado : Usado 4/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 2004
  • Colecção
  • Filosofia Aberta
  • Idioma Original
  • Inglês
  • Tradutor
  • Maria de Fátima St. Aubyn
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT006214
  • ISBN
  • 9789726629559
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00
  • Nº Páginas
  • 281
Descrição

Conhecido pelo pensamento original e corajoso sobre matérias que vão do tratamento dos animais à manipulação genética, Peter Singer centra agora a sua atenção nas questões éticas relacionadas com a globalização. Nesta obra estimulante, desafia-nos a pensar para além das fronteiras nacionais dos Estados e a considerar o possível significado de uma ética global no mundo actual. Singer coloca questões originais acerca de uma tal ética e fornece respostas esclarecedoras e práticas. O livro trata quatro grandes questões mundiais: as alterações climáticas, o papel da Organização Mundial do Comércio, os direitos humanos e a intervenção com fins humanitários, e a ajuda externa. Singer aborda cada uma destas questões fundamentais de uma perspectiva ética e apresenta alternativas à abordagem estadocêntrica que caracteriza actualmente a teoria e as relações internacionais. Em relação às alterações climáticas, por exemplo, o autor vê a questão ética como dizendo respeito a um recurso mundial comum - a capacidade da atmosfera para absorver gases residuais. De que parte deste recurso se devem apropriar os países desenvolvidos e que parte deve ser deixada aos países em vias de desenvolvimento? Relativamente à OMC, Singer pergunta se a organização permite que o comércio livre se sobreponha a todos os outros valores e passa em revista os dados que comprovam os que desmentem a ideia de que a globalização é benéfica para os pobres. Ao considerar os direitos humanos, o autor pergunta até que ponto podemos criar leis mundiais de protecção dos direitos humanos e quais deverão ser os critérios determinantes de uma intervenção quando estes direitos são violados. Por fim, Singer analisa as obrigações dos países ricos no auxílio dos países pobres. Colocando um desafio ousado às perspectivas limitadas e nacionalistas dos definidores de políticas, dos políticos e dos líderes dos Estados Unidos e de outros países, Singer apresenta pormenorizadamente uma forma prática de considerar as questões mundiais contemporâneas sob o prisma da ética.