• 967 224 138
  • Contactos

Venceremos! - Discursos escolhidos

Thomas Sankara
Falas Afrikanas
Português PT

Estado : Novo
Encadernação : Brochado
Disponib. - Por encomenda

€10
Mais detalhes
  • Ano
  • 2020
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT005866
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 15,00 x 20,00 x
  • Nº Páginas
  • 119

Descrição

«Thomas Isidore Noël Sankara (Yako, 21 de dezembro de 1949 — Ouagadougou, 15 de outubro de 1987) foi um militar, revolucionário marxista, pan-africanista e líder político de Burkina Faso. Foi um popular capitão e o primeiro-ministro quando o país ainda se chamava República do Alto Volta. Logo depois, tornou-se o quinto presidente voltense desde a libertação do jugo francês e o primeiro de Burkina Faso. Enunciou os objetivos da "revolução democrática e popular" com as tarefas de erradicar a corrupção, a luta contra a degradação ambiental, o empoderamento das mulheres, e aumentar o acesso à educação e cuidados de saúde, com o objetivo maior de eliminar resquícios da dominação colonial francesa.

Durante o curso de sua presidência, Sankara implementou com sucesso programas que muito reduziram a mortalidade infantil, aumentaram as taxas de alfabetização e frequência escolar, aumentaram o número de mulheres que ocupam cargos governamentais. O seu governo tentou abolir também os privilégios tribais e baniu as mutilações genitais, os casamentos forçados e a poligamia. Além disso, foi bem sucedido em promover campanhas contraceptivas e vacinações infantis. Na frente ambiental, somente no primeiro ano de sua presidência, 10 milhões de árvores foram plantadas, num esforço para combater a desertificação. No primeiro aniversário da revolução que o havia levado ao poder, mudou a bandeira, o hino e o nome de República do Alto Volta para Burkina Faso, o que significa aproximadamente "terra de pessoas honestas (ou íntegras)" em mossi e diúla, duas línguas originárias mais faladas do país.

Ao longo de seus quatro anos no poder, Sankara pregou a autossuficiência económica do Burkina Faso. Apesar dos grandes avanços que foram feitos, houve forte oposição interna, em parte por causa dos problemas económicos e às políticas sociais mais progressistas do governo que desagradavam os sectores mais conservadores, e também de países vizinhos, especialmente Costa do Marfim e Togo, além de França e Estados Unidos. A sua administração foi perdendo apoio popular e também cresceram os conflitos internos dentro do seu governo, até que em 15 de outubro de 1987, Sankara foi assassinado num golpe de Estado liderado pelo aliado Blaise Compaoré e dois outros ex-colaboradores. Esta versão também foi confirmada por testemunhos liberianos que acusam também os serviços secretos franceses e a CIA pela morte de Thomas Sankara.» in wikipedia


Thomas Sankara
Falas Afrikanas
Português PT
Estado : Novo
Encadernação : Brochado
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Ano
  • 2020
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT005866
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 15,00 x 20,00 x
  • Nº Páginas
  • 119
Descrição

«Thomas Isidore Noël Sankara (Yako, 21 de dezembro de 1949 — Ouagadougou, 15 de outubro de 1987) foi um militar, revolucionário marxista, pan-africanista e líder político de Burkina Faso. Foi um popular capitão e o primeiro-ministro quando o país ainda se chamava República do Alto Volta. Logo depois, tornou-se o quinto presidente voltense desde a libertação do jugo francês e o primeiro de Burkina Faso. Enunciou os objetivos da "revolução democrática e popular" com as tarefas de erradicar a corrupção, a luta contra a degradação ambiental, o empoderamento das mulheres, e aumentar o acesso à educação e cuidados de saúde, com o objetivo maior de eliminar resquícios da dominação colonial francesa.

Durante o curso de sua presidência, Sankara implementou com sucesso programas que muito reduziram a mortalidade infantil, aumentaram as taxas de alfabetização e frequência escolar, aumentaram o número de mulheres que ocupam cargos governamentais. O seu governo tentou abolir também os privilégios tribais e baniu as mutilações genitais, os casamentos forçados e a poligamia. Além disso, foi bem sucedido em promover campanhas contraceptivas e vacinações infantis. Na frente ambiental, somente no primeiro ano de sua presidência, 10 milhões de árvores foram plantadas, num esforço para combater a desertificação. No primeiro aniversário da revolução que o havia levado ao poder, mudou a bandeira, o hino e o nome de República do Alto Volta para Burkina Faso, o que significa aproximadamente "terra de pessoas honestas (ou íntegras)" em mossi e diúla, duas línguas originárias mais faladas do país.

Ao longo de seus quatro anos no poder, Sankara pregou a autossuficiência económica do Burkina Faso. Apesar dos grandes avanços que foram feitos, houve forte oposição interna, em parte por causa dos problemas económicos e às políticas sociais mais progressistas do governo que desagradavam os sectores mais conservadores, e também de países vizinhos, especialmente Costa do Marfim e Togo, além de França e Estados Unidos. A sua administração foi perdendo apoio popular e também cresceram os conflitos internos dentro do seu governo, até que em 15 de outubro de 1987, Sankara foi assassinado num golpe de Estado liderado pelo aliado Blaise Compaoré e dois outros ex-colaboradores. Esta versão também foi confirmada por testemunhos liberianos que acusam também os serviços secretos franceses e a CIA pela morte de Thomas Sankara.» in wikipedia