• 967 224 138
  • Contactos

Bertrand Russell morreu há 50 anos

«Se o século XX viveu atormentado com a ideia do regresso da religião ao coração dos homens, se aceitou o materialismo como o Deus do seu tempo e o dogma como o grande demónio, Russell tem com certeza uma boa dose de responsabilidade. Num tempo de Guerra Fria, Bertrand Russell foi várias vezes o idiota útil de ambos os lados. O materialismo derivado da matemática foi um bom suporte para a doutrina marxista, embora sem nunca chegar à ortodoxia soviética. Serviu, como porta estandarte do ateísmo militante e do progressismo mais ingénuo, mas a sua formação matemática nunca o incluiu nos grupos pós-modernos empenhados na desconstrução de todo o saber humano.» ..............................o artigo completo de Carlos Maria Bobone no Observador encontra-se aqui