• 967 224 138
  • Contactos

Bibliografia portuguesa de cinema – Bases para um ensaio crítico

LT008024
1966
Jorge Pelayo

Idioma Português PT
Estado : Usado 4/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€12
Mais detalhes
  • Ano
  • 1966
  • Código
  • LT008024
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 100

Descrição

«Jorge Pelayo nasceu em Lisboa no primeiro dia de Janeiro de 1922. Enquanto estudante universitário dirigiu os serviços de cinema do Centro Universitário de Lisboa. Foi dirigente cineclubista e conta com vasta colaboração na imprensa nacional, tendo também sido correspondente de revistas de cinema estrangeiras. Colaborador da rádio e da televisão, criou e orientou durante cerca de 20 anos sessões de cinema clássico numa sala de Lisboa, sob o tema "Gente de cinema fala de filmes". Funcionário do Ministério das Finanças, transitou em 1959 para o SNI, onde teve a seu cargo a secção de cinema, passando depois para o Instituto Português de Cinema, como responsável pelas relações públicas e internacionais. Jorge Pelayo fez também parte do júri de diversos festivais de cinema, tanto nacionais como estrangeiros. Entre as obras publicadas contam-se "Cinema de Vanguarda" (1947), "I Retrospectiva do Cinema Sonoro Português", "II Retrospectiva do Cinema Sonoro Português" (1960), "III Retrospectiva do Cinema Sonoro Português" (1961) e "Bibliografia Portuguesa do Cinema - Bases para um ensaio crítico" (1966).» in Público

Bibliografia portuguesa de cinema – Bases para um ensaio crítico

€12

LT008024
1966
Jorge Pelayo
Idioma Português PT
Estado : Usado 4/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1966
  • Código
  • LT008024
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 100
Descrição

«Jorge Pelayo nasceu em Lisboa no primeiro dia de Janeiro de 1922. Enquanto estudante universitário dirigiu os serviços de cinema do Centro Universitário de Lisboa. Foi dirigente cineclubista e conta com vasta colaboração na imprensa nacional, tendo também sido correspondente de revistas de cinema estrangeiras. Colaborador da rádio e da televisão, criou e orientou durante cerca de 20 anos sessões de cinema clássico numa sala de Lisboa, sob o tema "Gente de cinema fala de filmes". Funcionário do Ministério das Finanças, transitou em 1959 para o SNI, onde teve a seu cargo a secção de cinema, passando depois para o Instituto Português de Cinema, como responsável pelas relações públicas e internacionais. Jorge Pelayo fez também parte do júri de diversos festivais de cinema, tanto nacionais como estrangeiros. Entre as obras publicadas contam-se "Cinema de Vanguarda" (1947), "I Retrospectiva do Cinema Sonoro Português", "II Retrospectiva do Cinema Sonoro Português" (1960), "III Retrospectiva do Cinema Sonoro Português" (1961) e "Bibliografia Portuguesa do Cinema - Bases para um ensaio crítico" (1966).» in Público