• 967 224 138
  • Contactos

“Mitolusismos” de Lima de Freitas

LT009548
1987
Gilbert Durand

Editora Perspectivas & Realidades
Editora Galeria Gilde
Idioma Português PT
Idioma Francês
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Capa dura, com sobrecapa
Disponib. - Em stock

€75
Mais detalhes
  • Ano
  • 1987
  • Código
  • LT009548
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 143

Descrição

Edição bilingue Português / Francês

« (...) Gilbert Durand, na sua obra Mitolusismos de Lima de Freitas (1987), propõe três níveis na criação do pintor: - O 1º corresponde às “imagens obsessivas” e situa-se ao nível do inconsciente; - O 2º corresponde às várias técnicas utilizadas, como “ilustração” das obras de cultura; - O 3º nível, e último, manifesta, de alguma forma, a supraconsciência do artista. Neste nível há lugar para que a remitologização consentida elabora uma filosofia, senão mesmo uma espiritualidade: Imagens obsessivas, ilustrações culturais, enfim sageza dos mitos são a tripla e hierárquica condição para que a pintura moderna – e com ela toda a criatividade – saia da recusa do sentido que foi o fundamento do modernismo. [Privilegia-se] os enquadramentos estruturais-figurativos, os quais são o que unicamente importa como mensagem universal para a perenidade da obra considerando também que a história e a biografia retomam os seus direitos (1987: 13)» in O Imaginário em Lima de Freitas e José de Guimarães. Entre a Arte e a Educação, de Alberto Filipe Araújo, Cátia Assunção e Lígia Rocha


LT009548
1987
Gilbert Durand
Editora Perspectivas & Realidades
Editora Galeria Gilde
Idioma Português PT
Idioma Francês
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Capa dura, com sobrecapa
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1987
  • Código
  • LT009548
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 143
Descrição

Edição bilingue Português / Francês

« (...) Gilbert Durand, na sua obra Mitolusismos de Lima de Freitas (1987), propõe três níveis na criação do pintor: - O 1º corresponde às “imagens obsessivas” e situa-se ao nível do inconsciente; - O 2º corresponde às várias técnicas utilizadas, como “ilustração” das obras de cultura; - O 3º nível, e último, manifesta, de alguma forma, a supraconsciência do artista. Neste nível há lugar para que a remitologização consentida elabora uma filosofia, senão mesmo uma espiritualidade: Imagens obsessivas, ilustrações culturais, enfim sageza dos mitos são a tripla e hierárquica condição para que a pintura moderna – e com ela toda a criatividade – saia da recusa do sentido que foi o fundamento do modernismo. [Privilegia-se] os enquadramentos estruturais-figurativos, os quais são o que unicamente importa como mensagem universal para a perenidade da obra considerando também que a história e a biografia retomam os seus direitos (1987: 13)» in O Imaginário em Lima de Freitas e José de Guimarães. Entre a Arte e a Educação, de Alberto Filipe Araújo, Cátia Assunção e Lígia Rocha