• 967 224 138
  • Contactos

Homens e ofícios

LT012587
2020
José Mariano Gago

Editora Espaço Ulmeiro
Editora APCEP
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€12
Mais detalhes
  • Ano
  • 2020
  • Código
  • LT012587
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 20,00 x 29,00 x
  • Nº Páginas
  • 82

Descrição

Manual de fichas de Exploração Temática para Animação Cultural sobre Tecnologias e Sociedades

A separação crescente entre trabalho manual e intelectual, funções de execução e de concepção ou controlo, a especialização de cada uma destas funções, conduziram o conhecimento tecnológico e, em geral, todo o conhecimento científico a dispor dum estatuto socialmente isolado, misterioso para a maioria dos trabalhadores. Uma acção de educação permanente inserida em motivações socialmente vivas deve, pois, debruçar-se sobre a realidade tecnológica, arrancando-a à figura imutável e mítica de que correntemente se reveste. Face à cultura e ao ensino, a relação professor/aluno,em especial em actividades de alfabetização e educação permanente, só ganha um conteúdo de colaboração e camaradagem quando os conhecimentos vividos pelo trabalhador/aluno são valorizados como objecto de cultura. A reflexão sobre as técnicas de trabalho, e em particular as que fazem parte do património cultural do trabalhador manual, é decisiva neste processo em que o animador assumirá frequentemente o papel de «aluno» e em que uma troca viva de experiências será possível.

Homens e ofícios

€12

LT012587
2020
José Mariano Gago
Editora Espaço Ulmeiro
Editora APCEP
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 2020
  • Código
  • LT012587
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 20,00 x 29,00 x
  • Nº Páginas
  • 82
Descrição

Manual de fichas de Exploração Temática para Animação Cultural sobre Tecnologias e Sociedades

A separação crescente entre trabalho manual e intelectual, funções de execução e de concepção ou controlo, a especialização de cada uma destas funções, conduziram o conhecimento tecnológico e, em geral, todo o conhecimento científico a dispor dum estatuto socialmente isolado, misterioso para a maioria dos trabalhadores. Uma acção de educação permanente inserida em motivações socialmente vivas deve, pois, debruçar-se sobre a realidade tecnológica, arrancando-a à figura imutável e mítica de que correntemente se reveste. Face à cultura e ao ensino, a relação professor/aluno,em especial em actividades de alfabetização e educação permanente, só ganha um conteúdo de colaboração e camaradagem quando os conhecimentos vividos pelo trabalhador/aluno são valorizados como objecto de cultura. A reflexão sobre as técnicas de trabalho, e em particular as que fazem parte do património cultural do trabalhador manual, é decisiva neste processo em que o animador assumirá frequentemente o papel de «aluno» e em que uma troca viva de experiências será possível.