• 967 224 138
  • Contactos

Sobre a tradução xxxx

Paul Ricoeur
Cotovia
Português PT

Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Por encomenda

€8
Mais detalhes
  • Ano
  • 2005
  • Colecção
  • Ensaio
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Maria Jorge Vilar de Figueiredo
  • Código
  • LT002265
  • ISBN
  • 9789727951383
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 13,00 x 20,00 x
  • Nº Páginas
  • 70

Descrição

Os três textos aqui reunidos constituem um conjunto coerente onde o autor procura libertar-se do dilema já muito conhecido: teoricamente, a tradução seria impossível, mas tem sido sempre praticada. Ricoeur pretende acabar com esta máxima prejudicial à tradução, propondo que esta última seja encarada como a criação de uma “equivalência sem identidade”. Permite-nos deste modo compreender a necessidade de voltar constantemente a traduzir os textos que cada época tenta transformar em “clássicos”. A tradução surge então como uma das componentes da dinâmica cultural que institui um presente, fazendo uma releitura da tradição, assim restituída à vida.


Paul Ricoeur
Cotovia
Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Ano
  • 2005
  • Colecção
  • Ensaio
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Maria Jorge Vilar de Figueiredo
  • Código
  • LT002265
  • ISBN
  • 9789727951383
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 13,00 x 20,00 x
  • Nº Páginas
  • 70
Descrição

Os três textos aqui reunidos constituem um conjunto coerente onde o autor procura libertar-se do dilema já muito conhecido: teoricamente, a tradução seria impossível, mas tem sido sempre praticada. Ricoeur pretende acabar com esta máxima prejudicial à tradução, propondo que esta última seja encarada como a criação de uma “equivalência sem identidade”. Permite-nos deste modo compreender a necessidade de voltar constantemente a traduzir os textos que cada época tenta transformar em “clássicos”. A tradução surge então como uma das componentes da dinâmica cultural que institui um presente, fazendo uma releitura da tradição, assim restituída à vida.