• 967 224 138
  • Contactos

A utopia (Guim.)

LT011459
1996
Tomás Morus (Thomas Moore)

Editora Guimarães
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€7
Mais detalhes
  • Ano
  • 1996
  • Colecção
  • Filosofia & Ensaios
  • Idioma Original
  • Latim
  • Tradutor
  • José Marinho
  • Código
  • LT011459
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 12,00 x 19,00
  • Nº Páginas
  • 174

Descrição

A sociedade ideal tal como a concebeu Tomás Morus, filósofo e santo, num dos textos mais marcantes do pensamento europeu.

A Utopia, é uma ilha imaginária onde todos vivem em harmonia e trabalham em favor do bem comum. Desde então o termo "utopia" está associado à fantasia, sonho, fortuna e bem-estar, que são aspectos formadores do ambiente utópico onde se desenvolveu a sociedade utopiana, no país chamado Utopia ou Ilha da Utopia que era dominada pelo rei Utopus: "Os habitantes da Utopia aplicam aqui o princípio da posse comum. Para abolir a ideia da propriedade individual e absoluta, trocam de casa a cada dez anos e tiram a sorte da que lhes deve caber na partilha."

A utopia (Guim.)

€7

LT011459
1996
Tomás Morus (Thomas Moore)
Editora Guimarães
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1996
  • Colecção
  • Filosofia & Ensaios
  • Idioma Original
  • Latim
  • Tradutor
  • José Marinho
  • Código
  • LT011459
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 12,00 x 19,00
  • Nº Páginas
  • 174
Descrição

A sociedade ideal tal como a concebeu Tomás Morus, filósofo e santo, num dos textos mais marcantes do pensamento europeu.

A Utopia, é uma ilha imaginária onde todos vivem em harmonia e trabalham em favor do bem comum. Desde então o termo "utopia" está associado à fantasia, sonho, fortuna e bem-estar, que são aspectos formadores do ambiente utópico onde se desenvolveu a sociedade utopiana, no país chamado Utopia ou Ilha da Utopia que era dominada pelo rei Utopus: "Os habitantes da Utopia aplicam aqui o princípio da posse comum. Para abolir a ideia da propriedade individual e absoluta, trocam de casa a cada dez anos e tiram a sorte da que lhes deve caber na partilha."