• 967 224 138
  • Contactos

A Maçonaria portuguesa e o Estado Novo (1ª ed.) xx

LT009494
1975
A. H. de Oliveira Marques

Editora Dom Quixote
Idioma Português PT
Estado : Usado 4/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Indisponível

€15
Mais detalhes
  • Ano
  • 1975
  • Colecção
  • Participar
  • Capa
  • Fernando Felgueiras
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT009494
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 16,00 x 23,00
  • Nº Páginas
  • 397

Descrição

Primeira edição

«Fiquei impressionado, nesse primeiro encontro, com a personalidade de Oliveira Marques, com a sua segurança e firmeza de convicções. Sabia o que queria. Mas quando lhe propus que trabalhasse connosco no nosso grupo, à luz do dia, disputando a legalidade palmo a palmo com regime policial que nos governava, respondeu-me logo que isso não o interessava, por considerar a nossa luta inglória, dada a natureza do regime. E acrescentou: o que gostava era de poder ingressar na Maçonaria Portuguesa, que sabia estar, desde 1934, na mais absoluta clandestinidade. Fiquei, confesso, um pouco surpreendido. Porque nesse tempo a Maçonaria não impressionava muito a juventude e era considerada, pelo menos nos meios intelectuais que eu frequentava, como uma velharia. No entanto, eu conhecia e era amigo do Professor Dias Amado – cuja filha fora minha colega na Faculdade de Letras – que sabia ser então grão-mestre da Maçonaria. Ofereci-me para o sondar – apesar de eu não ser mação – o que fiz, pondo-os em contacto através de uma carta, para Dias Amado, que entreguei ao Oliveira Marques, como uma espécie de senha. Algum tempo depois vim a saber que tinha sido iniciado na Maçonaria.» Mário Soares, in http://www.bnportugal.gov.pt/

A Maçonaria portuguesa e o Estado Novo (1ª ed.) xx

€15

LT009494
1975
A. H. de Oliveira Marques
Editora Dom Quixote
Idioma Português PT
Estado : Usado 4/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Indisponível

Mais detalhes
  • Ano
  • 1975
  • Colecção
  • Participar
  • Capa
  • Fernando Felgueiras
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT009494
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 16,00 x 23,00
  • Nº Páginas
  • 397
Descrição

Primeira edição

«Fiquei impressionado, nesse primeiro encontro, com a personalidade de Oliveira Marques, com a sua segurança e firmeza de convicções. Sabia o que queria. Mas quando lhe propus que trabalhasse connosco no nosso grupo, à luz do dia, disputando a legalidade palmo a palmo com regime policial que nos governava, respondeu-me logo que isso não o interessava, por considerar a nossa luta inglória, dada a natureza do regime. E acrescentou: o que gostava era de poder ingressar na Maçonaria Portuguesa, que sabia estar, desde 1934, na mais absoluta clandestinidade. Fiquei, confesso, um pouco surpreendido. Porque nesse tempo a Maçonaria não impressionava muito a juventude e era considerada, pelo menos nos meios intelectuais que eu frequentava, como uma velharia. No entanto, eu conhecia e era amigo do Professor Dias Amado – cuja filha fora minha colega na Faculdade de Letras – que sabia ser então grão-mestre da Maçonaria. Ofereci-me para o sondar – apesar de eu não ser mação – o que fiz, pondo-os em contacto através de uma carta, para Dias Amado, que entreguei ao Oliveira Marques, como uma espécie de senha. Algum tempo depois vim a saber que tinha sido iniciado na Maçonaria.» Mário Soares, in http://www.bnportugal.gov.pt/