• 967 224 138
  • Contactos

O moinho à beira do rio

LT011547
1979
George Eliot

Editora Verbo
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Capa dura
Disponib. - Em stock

€9
Mais detalhes
  • Ano
  • 1979
  • Colecção
  • Clássicos Juvenis Verbo
  • Tradutor
  • Ricardo Alberty
  • Código
  • LT011547
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 19,00 x 26,00 x
  • Nº Páginas
  • 141

Descrição

Adaptação de Betty McCulloch, ilustrações de Faith Jaques

George Eliot é o pseudónimo por que ficou conhecida na história da literatura uma das mais extraordinárias mulheres que atravessaram o século XIX. Chamava-se Mary Ann Evans e nasceu em Arbury Farm, no ano de 1819, vindo a terminar os seus dias em Londres, em 1880. Extraordinariamente culta, foi subdirectora da Westminter Revew, onde publicou trabalhos filosóficos de grande valor. Ficou célebre o seu espírito inconformista, que não se limitou ao domínio das ideias: enfrentou os preconceitos do seu tempo vivendo sem casamento uma união feliz com Georges Lewes, união que se prolongaria pelo espaço de vinte e cinco anos, até à morte daquele, em 1878.

O moinho à beira do rio

€9

LT011547
1979
George Eliot
Editora Verbo
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Capa dura
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1979
  • Colecção
  • Clássicos Juvenis Verbo
  • Tradutor
  • Ricardo Alberty
  • Código
  • LT011547
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 19,00 x 26,00 x
  • Nº Páginas
  • 141
Descrição

Adaptação de Betty McCulloch, ilustrações de Faith Jaques

George Eliot é o pseudónimo por que ficou conhecida na história da literatura uma das mais extraordinárias mulheres que atravessaram o século XIX. Chamava-se Mary Ann Evans e nasceu em Arbury Farm, no ano de 1819, vindo a terminar os seus dias em Londres, em 1880. Extraordinariamente culta, foi subdirectora da Westminter Revew, onde publicou trabalhos filosóficos de grande valor. Ficou célebre o seu espírito inconformista, que não se limitou ao domínio das ideias: enfrentou os preconceitos do seu tempo vivendo sem casamento uma união feliz com Georges Lewes, união que se prolongaria pelo espaço de vinte e cinco anos, até à morte daquele, em 1878.