• 967 224 138
  • Contactos

Antologia temática de poesia africana 1 – Na noite grávida de punhais

LT009069
1977
Mário Pinto de Andrade

Editora Sá da Costa
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€20
Mais detalhes
  • Ano
  • 1977
  • Colecção
  • Vozes do Mundo
  • Capa
  • Sebastião Rodrigues
  • Edição
  • 2
  • Código
  • LT009069
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 281

Descrição

Poesia de Cabo Verde, São Tomé e Príncipe. Guiné, Angola e Moçambique, seleccionada e prefaciada por Mário de Andrade

«A poética africana de escrita portuguesa e crioula, sob o condicionamento da dominação colonialista, articula-se intimamente ao movimento de libertação nacional. Ela ritma o combate: negar a negação e realizar a emergência histórica dos povos. Utilizando o privilégio de serem investidos do verbo, os poetas da noite grávida de punhais, exprimiram, até às suas derradeiras consequências, os sentimentos informulados que agitavam as massas, dominaram os elementos culturais de afirmação nacional através do grito, do canto e do apelo. Autor de vários ensaios de carácter político e literário, Mário de Andrade, actualizando as suas obras anteriores, apresenta-nos o primeiro tomo de uma antologia de poesia africana que privilegia os temas, mas considera também as particularidades geográficas e a ordem cronológica.»

Antologia temática de poesia africana 1 – Na noite grávida de punhais

€20

LT009069
1977
Mário Pinto de Andrade
Editora Sá da Costa
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1977
  • Colecção
  • Vozes do Mundo
  • Capa
  • Sebastião Rodrigues
  • Edição
  • 2
  • Código
  • LT009069
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 281
Descrição

Poesia de Cabo Verde, São Tomé e Príncipe. Guiné, Angola e Moçambique, seleccionada e prefaciada por Mário de Andrade

«A poética africana de escrita portuguesa e crioula, sob o condicionamento da dominação colonialista, articula-se intimamente ao movimento de libertação nacional. Ela ritma o combate: negar a negação e realizar a emergência histórica dos povos. Utilizando o privilégio de serem investidos do verbo, os poetas da noite grávida de punhais, exprimiram, até às suas derradeiras consequências, os sentimentos informulados que agitavam as massas, dominaram os elementos culturais de afirmação nacional através do grito, do canto e do apelo. Autor de vários ensaios de carácter político e literário, Mário de Andrade, actualizando as suas obras anteriores, apresenta-nos o primeiro tomo de uma antologia de poesia africana que privilegia os temas, mas considera também as particularidades geográficas e a ordem cronológica.»