• 967 224 138
  • Contactos
O novíssimo testamento e outros poemas

O novíssimo testamento e outros poemas

Jorge Sousa Braga
Disponib. - Por encomenda

€5
Mais detalhes
  • Ano
  • 2012
  • Colecção
  • Poesia Inédita Portuguesa
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT002717
  • ISBN
  • 9789720793034
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 47

Descrição

Logo no início deste livro, em jeito de epígrafe ao poema que lhe oferece o título, Jorge Sousa Braga lança o mote: «Para acabar de vez com os direitos humanos / e restaurar os direitos divinos». E ainda assim, recorrendo a um notável discurso poético e a uma ironia mordaz, o poeta transporta-nos do Universo para o particular e da dimensão divina para a dimensão humana que também é, afinal, divina. Constatamos assim que o desfecho de uma grandiosa cosmogonia é a formação de um «ramo de rosas» e que na conclusão de um salmo afirme que «Não foi por mim que tu morreste / embora eu seja capaz de morrer por ti». Um livro surpreendente, este O Novíssimo Testamento e outros poemas, de Jorge Sousa Braga.

O novíssimo testamento e outros poemas

O novíssimo testamento e outros poemas €5

Jorge Sousa Braga
Disponib. - Por encomenda

Mais detalhes
  • Ano
  • 2012
  • Colecção
  • Poesia Inédita Portuguesa
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT002717
  • ISBN
  • 9789720793034
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 47
Descrição

Logo no início deste livro, em jeito de epígrafe ao poema que lhe oferece o título, Jorge Sousa Braga lança o mote: «Para acabar de vez com os direitos humanos / e restaurar os direitos divinos». E ainda assim, recorrendo a um notável discurso poético e a uma ironia mordaz, o poeta transporta-nos do Universo para o particular e da dimensão divina para a dimensão humana que também é, afinal, divina. Constatamos assim que o desfecho de uma grandiosa cosmogonia é a formação de um «ramo de rosas» e que na conclusão de um salmo afirme que «Não foi por mim que tu morreste / embora eu seja capaz de morrer por ti». Um livro surpreendente, este O Novíssimo Testamento e outros poemas, de Jorge Sousa Braga.