• 967 224 138
  • Contactos
o rapto de hortense

O rapto de Hortense

LT003185
1993
Jacques Roubaud

Disponib. - Em stock

€6
Mais detalhes
  • Ano
  • 1993
  • Colecção
  • Letras do Mundo
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Margarida Barahona
  • Capa
  • Teresa Dias Coelho
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT003185
  • Detalhes físicos
  • Nº Páginas
  • 260

Descrição

Jacques Roubaud nasceu em 1932, em Caluire, região do Ródano, França. Poeta, romancista, dramaturgo, ensaísta e matemático, publicou o primeiro livro em 1944 e, desde então, dezenas de outros. Foi viver para Paris depois da Segunda Guerra Mundial. Em 1966, pela mão de Raymond Queneau, integrou o OuLiPo – Ouvroir de Littérature Potentielle, um grupo de poesia experimental que cerceava a criação poética com constrangimentos auto-impostos, nomeadamente matemáticos. Com Paul Braffort, Roubaud fundou em 1981 o ALAMO - Atelier de Littérature Assistée par les Mathématiques et les Ordinateurs. Em 1989, publica Le Grand Incendie de Londres, início de um ciclo em prosa considerado pelo autor como o seu grande projecto. O percurso criativo de Jacques Roubaud ficou marcado pelo suicídio do irmão, em 1961, e, mais tarde, pela morte prematura da mulher, apenas três anos depois de se terem casado. Alguma Coisa Negro foi distinguido em 1986 com o Prémio France Culture. Em 1990, Roubaud recebeu o Grande Prémio Nacional de Poesia e, em 2008, Grande Prémio de Literatura da Academia Francesa.

O rapto de Hortense

o rapto de hortense €6

LT003185
1993
Jacques Roubaud
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1993
  • Colecção
  • Letras do Mundo
  • Idioma Original
  • Francês
  • Tradutor
  • Margarida Barahona
  • Capa
  • Teresa Dias Coelho
  • Edição
  • 1
  • Código
  • LT003185
  • Detalhes físicos

  • Nº Páginas
  • 260
Descrição
Jacques Roubaud nasceu em 1932, em Caluire, região do Ródano, França. Poeta, romancista, dramaturgo, ensaísta e matemático, publicou o primeiro livro em 1944 e, desde então, dezenas de outros. Foi viver para Paris depois da Segunda Guerra Mundial. Em 1966, pela mão de Raymond Queneau, integrou o OuLiPo – Ouvroir de Littérature Potentielle, um grupo de poesia experimental que cerceava a criação poética com constrangimentos auto-impostos, nomeadamente matemáticos. Com Paul Braffort, Roubaud fundou em 1981 o ALAMO - Atelier de Littérature Assistée par les Mathématiques et les Ordinateurs. Em 1989, publica Le Grand Incendie de Londres, início de um ciclo em prosa considerado pelo autor como o seu grande projecto. O percurso criativo de Jacques Roubaud ficou marcado pelo suicídio do irmão, em 1961, e, mais tarde, pela morte prematura da mulher, apenas três anos depois de se terem casado. Alguma Coisa Negro foi distinguido em 1986 com o Prémio France Culture. Em 1990, Roubaud recebeu o Grande Prémio Nacional de Poesia e, em 2008, Grande Prémio de Literatura da Academia Francesa.