• 967 224 138
  • Contactos

A Selva – Edição de Luxo

LT009092
1938?
Ferreira de Castro

Editora Empresa Nacional de Publicidade
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Capa dura
Disponib. - Em stock

€90
Mais detalhes
  • Ano
  • 1938?
  • Código
  • LT009092
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 18,00 x 27,00 x
  • Nº Páginas
  • 272

Descrição

Edição de Luxo.

As tricomias publicadas em extra-texto reproduzem quadros de interpretação da obra, feitos propositadamente para esta edição, por Alberto de Sousa, António Soares, Carlos Reis, Dordio Gomes, Jorge Barradas, Manuel Lapa, Manuel Lima, e Martins Barata. Vinhetas de Roberto Nobre.

Considerado um dos livros-monumento e de maior sucesso, dentro e fora de portas, da nossa literatura moderna, A Selva, notável epopeia sobre a vida dos seringueiros na selva amazónica durante os anos de declínio do ciclo da borracha, foi lida e amplamente elogiada por nomes que vão desde Jaime Brasil (Livro único na literatura de todo o mundo) a Agustina Bessa-Luís (obra-prima) e Jorge Amado (clássico do nosso tempo), não passando igualmente despercebida a grandes figuras da literatura internacional, como Albert Camus (estilo sinuoso e sugestivo, como uma vegetação exuberante de termos estranhos e maravilhosos. Livro inesquecível), Blaise Cendrars (brilhante e ardente estilista), seu tradutor francês ou Ztefan Zweig (admirável romance).


LT009092
1938?
Ferreira de Castro
Editora Empresa Nacional de Publicidade
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Capa dura
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 1938?
  • Código
  • LT009092
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 18,00 x 27,00 x
  • Nº Páginas
  • 272
Descrição

Edição de Luxo.

As tricomias publicadas em extra-texto reproduzem quadros de interpretação da obra, feitos propositadamente para esta edição, por Alberto de Sousa, António Soares, Carlos Reis, Dordio Gomes, Jorge Barradas, Manuel Lapa, Manuel Lima, e Martins Barata. Vinhetas de Roberto Nobre.

Considerado um dos livros-monumento e de maior sucesso, dentro e fora de portas, da nossa literatura moderna, A Selva, notável epopeia sobre a vida dos seringueiros na selva amazónica durante os anos de declínio do ciclo da borracha, foi lida e amplamente elogiada por nomes que vão desde Jaime Brasil (Livro único na literatura de todo o mundo) a Agustina Bessa-Luís (obra-prima) e Jorge Amado (clássico do nosso tempo), não passando igualmente despercebida a grandes figuras da literatura internacional, como Albert Camus (estilo sinuoso e sugestivo, como uma vegetação exuberante de termos estranhos e maravilhosos. Livro inesquecível), Blaise Cendrars (brilhante e ardente estilista), seu tradutor francês ou Ztefan Zweig (admirável romance).