• 967 224 138
  • Contactos

O varandim | O ocaso em Carvangel

LT010336
2012
Mário de Carvalho

Editora Porto Ed.
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

€9
Mais detalhes
  • Ano
  • 2012
  • Código
  • LT010336
  • ISBN
  • 9789720044129
  • Detalhes físicos
  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00
  • Nº Páginas
  • 221

Descrição

Um canhão assombrando uma cidade. Um patíbulo armado de noite. Um istmo que conduz a uma cratera. Uma diligência cercada por cães selvagens. Nuvens de grifos imundos sobre o mar. A batalha sangrenta dos pescadores. Uma galeria de anarquistas, mais nobres que plebeus. A casa de Madame Ricciarda. A casa de Madame Musette. Dois jesuítas. Um padre que toca violoncelo. Um navio que não chega mais. Uma opereta com ecos de tragédia. Sol, luz, névoa e lua. Oito mulheres, amores duplos, triplos e quádruplos. De como a vida engana a morte. Ou o inverso. Porque há em gente pacata uma apetência de morte tão grande? Porque é que nunca se regressa daquela viagem? Porque é que aquele navio não chega? Porque é que aquele canhão jamais dispara? O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel - primeiro livro de Mário de Carvalho no catálogo da Porto Editora - confirma-o uma vez mais como um dos grandes nomes da ficção portuguesa contemporânea.

O varandim | O ocaso em Carvangel

€9

LT010336
2012
Mário de Carvalho
Editora Porto Ed.
Idioma Português PT
Estado : Usado 5/5
Encadernação : Brochado
Disponib. - Em stock

Mais detalhes
  • Ano
  • 2012
  • Código
  • LT010336
  • ISBN
  • 9789720044129
  • Detalhes físicos

  • Dimensões
  • 14,00 x 21,00
  • Nº Páginas
  • 221
Descrição

Um canhão assombrando uma cidade. Um patíbulo armado de noite. Um istmo que conduz a uma cratera. Uma diligência cercada por cães selvagens. Nuvens de grifos imundos sobre o mar. A batalha sangrenta dos pescadores. Uma galeria de anarquistas, mais nobres que plebeus. A casa de Madame Ricciarda. A casa de Madame Musette. Dois jesuítas. Um padre que toca violoncelo. Um navio que não chega mais. Uma opereta com ecos de tragédia. Sol, luz, névoa e lua. Oito mulheres, amores duplos, triplos e quádruplos. De como a vida engana a morte. Ou o inverso. Porque há em gente pacata uma apetência de morte tão grande? Porque é que nunca se regressa daquela viagem? Porque é que aquele navio não chega? Porque é que aquele canhão jamais dispara? O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel - primeiro livro de Mário de Carvalho no catálogo da Porto Editora - confirma-o uma vez mais como um dos grandes nomes da ficção portuguesa contemporânea.